EAMC: OSASCO E COMO ELA NEM SEMPRE FOI A CIDADE DO CACHORRO QUENTE

junho 26, 2016


Olá pessoas! Tudo bem com vocês? Hoje cá estou eu com mais um post do projeto Eu Amo Minha Cidade. As meninas vão me matar que tá saindo atrasadinho, mas ele tá aqui! Pra quem não sabe do que eu tô falando, você pode conferir mais informações do projeto nesse link aqui, mas basicamente a ideia é apresentar um pouquinho mais da cidade onde a gente a vive para vocês. Então bora lá?

Já começo dizendo que tudo o que a minha cidade tem é história. Osasco, apesar de ser uma cidade muito nova (ela só tem 54 anos), ela existe a bem mais do que isso. A região era terra de índios do tronco dos tupi-guarani, e digamos assim que, como a maior parte das cidades brasileiras, os bandeirantes passaram por aqui e dominaram a terra, e nem preciso dizer como foi essa dominação né? A primeira vila a ser fundada foi a Vila Quitaúna (guarde bem esse nome, ele vai aparecer outras vezes nessa história), ainda na época dos bandeirantes, onde residiu o tal do Raposo Tavares. E isso foi antes de acharem ouro em Minas Gerais, porque quando isso aconteceu todo mundo se mandou pra lá e deixou a vila pra trás!

Mais tarde, o terreno foi sendo ocupado e existiam várias chácaras e sítios na região, e um desses terrenos foi vendido a pessoa mais importante dessa história, que é: Antônio Agú. Ele era um imigrante italiano que começou por aqui uma olaria que fabricava tijolos e telhas. Mas Ana, por que ele é importante? Ele é importante pois foi ele que trouxe a estrada de ferro, vulgo trem, para as bandas de cá. E agora que tudo vai fazer mais sentido ainda: os donos da estrada de ferro quiseram colocar o nome dele na estação, e o que ele fez? Pediu para que colocassem o nome do lugar que ele nasceu, Osasco. Então quando você assistir Toy Story 3, saiba que eles falam sobre ir em uma confeitaria em Osasco, mas na Itália.


Além de trazer a malha ferroviária, o Antônio Agú fez uma parceria com o barão Dimitri Sensaud de Lavaud, que eu tenho certeza que você não sabe, e eu mesma não sabia até ir na casa dele (que hoje é um museu, e se encontra no mesmíssimo lugar em que foi construida), é que ele foi o responsável pelo primeiro voo de avião da América Latina, e foi ele que construiu o avião, o primeiro legitimamente brasileiro. E adivinha aonde foi esse voo super revolucionário? Osasco. Na rua em frente ao museu.


Deixa eu explicar uma coisa mais técnica sobre a cidade. Aqui, sempre que você conversar com um professor de história, vão falar que somos uma cidade dormitório. Mas como assim? Cidade dormitório? Por causa da facilidade de locomoção, as pessoas, ao invés de morar na cidade em que trabalham, acabam morando aqui e indo trabalhar em outras cidades. Para vocês terem uma ideia, se eu andar 1 quarteirão eu já estou em outra cidade. E sim, é tudo beeeeeeeeeeeem povoado, nem precisa pegar a estrada. E essa sempre foi uma característica da região. Quando trouxeram a estrada de ferro para Oz (apelido carinho do pessoal do O Teatro Mágico, que a gente adorou, aliás, eles são daqui sabia?), muita gente veio morar aqui, e claro, muitas indústrias vieram para cá também, o que ajudou no povoamento.

Agora, deixa eu te contar uma coisa interessante, tudo isso aconteceu antes, muito antes mesmo de Oz virar cidade. Antônio Agú chegou aqui em 1887, e a gente só foi virar cidade em 1962. A história é bem longa, teve barraco, baixaria e voto de gente morta. Eu até poderia, mas não vou, entrar em mais detalhes, vou deixar para você matar um pouco a curiosidade sobre o que aconteceu. Mas antes de ir, preciso contar mais uma coisa importante que aconteceu.

Em 1922, foi construido um quartel. Esse quartel, que fica em Quitaúna (sim, esse era aquele bairro lá do começo da história), foi palco de muitos acontecimentos. Inclusive, teve papel importante no período da ditadura. O terreno que ele ocupa foi comprado pelo governo em 1920, e há uns anos atrás a prefeitura começou a construir o que será (um dia), a Universidade Federal de Osasco. E se você ainda não se convenceu do quão importante foi essa informação, saiba que se você já leu, ou pretende ler um dia, os livros do André Vianco, talvez você se depare com ela, e ai você com certeza já vai saber o que rola!

E eu sei, eu não falei do cachorro quente né? Mas é que, não sei se vocês sabem, Osasco é conhecida como a cidade do cachorro quente. Não sabemos direito porque isso aconteceu, ou quem descobriu isso, mas aqui nós temos um centro vem interiorano. Aqui temos um calçadão, que nada mais é que um trecho da rua Antônio Agú (que agora você já sabe quem é) que ao invés de asfalto é calçada para que pessoas possam andar nela, e ela concentra o comércio popular da cidade. É tipo uma 25 de Março sem carro. E adivinha o que temos ali? Muitos carros de cachorro quente. Muitos mesmo. Tanto que a cidade hoje abriga um festival disso.

Bem, acho que esse post ficou um pouquinho grande né? Mas espero que vocês tenham gostado desse resuminho dessa cidade que eu amo tanto... Me conta! Qual a coisa mais legal da sua cidade?

Vem conhecer os outros blogs!

Celle - Diários de um piqueniqueQualquer Latitude - Quarto de Viagem - Call Me Maya - Lidy com isso - Pequena Aventureira

Me sigam por aí! Instagram / Twitter / Facebook / Snapchat: anaclaudiaplima / Goodreads / Skoob

You Might Also Like

4 comentários

CURTE A PÁGINA!