GLOSSÁRIO #4 - INDO AO BANCO

julho 26, 2016


Olha, já estamos no nosso 4º glossário, e sabe o que eu vi? Eu ainda não falei da coisa mais básica do mundo, termos bancários. Por favor, não ache que eu sou tonta, porque todo mundo entende pelo menos da sua própria conta, mas sei lá né, é sempre bom conhecer um pouco mais de coisas do dia a dia, tipo, porque elas existem, porque estão lá e essas coisas.

A ideia (adora falar isso) é simples. Eu peguei alguns dos termos que mais vemos, reuni eles em uma lista e foi isso que aconteceu.

Crédito - em termos práticos, ter créditos é o mesmo que ser confiável. Quando falamos em termos bancários, ou seja, no seu extrato, crédito é o valor que você tem disponível no banco, ou quanto o banco está disposto a te emprestar caso o seu dinheiro acabe. Só para avisar que esse conceito é um pouco diferente do da contabilidade, então, cuidado.

Débito - já aqui nós vamos ter as saídas da sua conta bancária. O débito é a inversão do crédito, e isso explica porque gastadores preferem utilizar débito, porque teoricamente você não pode gastar mais do que tem na sua conta.

Poupança - vamos conversar um pouquinho aqui. Eu já expliquei isso algumas vezes, mas, poupança é o ato de você deixar o seu dinheiro guardadinho no banco, mas não só isso, esse dinheiro que ficou guardado, no final acaba sendo como se você estivesse emprestando dinheiro ao banco. E assim como todo empréstimo (que eu vou falar aqui em baixo), vai gerar um juros, só que ao invés de você pagar o banco, ele vai pagar para você.

Empréstimo - ao contrário da poupança, é o ato de você pegar dinheiro emprestado no banco. E aqui a gente pode juntar os outros itens dessa lista, já que para obter um empréstimo você precisa ter crédito, ou seja, o banco precisa "confiar" que você vai devolver esse dinheiro, e você pode fazer essa devolução de várias maneiras, inclusive debitando automaticamente parcelas do valor + juros. Viu como consegui juntar tudo?

DOC - Documento de Crédito. O DOC é uma transferência bancária limitada, ou seja, o ela tem valor máximo, que no caso é R$ 4.999,99. Ele é chatinho. Além do limite, ele ainda tem um limite para o horário em que o dinheiro irá cair na conta de quem vai receber o valor, se você depositar até às 21:59, cai no dia seguinte, se depositar as 22:01, só cai dois dias depois.

TED - Transferência Eletrônica Disponível. Veio para descomplicar as transferências. O TED não tem limite de valor e o dinheiro cai na conta do beneficiário alguns minutos depois do depósito, desde que feito até as 17h, se não, só no dia seguinte.

E antes que você vá embora, seria legal que você também visse esses posts para que sua experiência no aspecto bancário fosse ainda melhor:

É isso então! Um post básico e prático para

Me sigam por aí! Instagram / Twitter / Facebook / Snapchat: anaclaudiaplima / Goodreads / Skoob

You Might Also Like

2 comentários

  1. oi, oi.

    ain, Ana. que post mais completo! <3 lendo esses termos, acabei lembrando das minhas aulas de Direito Empresarial. por incrível que pareça, eu adorei essa disciplina e acho que super útil ter em todos os cursos, pq a gente aprende tanta coisa que qualquer cidadão comum tem, como os empréstimos, letra de câmbio e por aí vai.

    que vc continue sempre trazendo mais posts do tipo. <3

    bjs!
    Não me venha com desculpas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim! Eu também tive Direito Empresarial na faculdade, e é absurdamente útil! Sério, eu adorei mesmo a matéria. Fico feliz que você tenha gostado do post! Fiz pensando mais na utilidade que em qualquer outra coisa!
      :)

      Excluir

CURTE A PÁGINA!