CRÍTICA: MATO SEM CACHORRO #VENDONACIONAIS

agosto 18, 2016


E essa semana comecei o projeto #VENDONACIONAIS! E sério gente, eu tô muito feliz por isso! Há 2 semanas, no dia 04, eu lancei aqui no blog um convite para você que era o de assistir a um filme nacional por semana durante 4 semanas. (Se você quiser conferir quais os filmes eu escolhi, é só clicar aqui) E então, eu assisti o primeiro filme da lista, que tem dois atores que eu amo, e sei lá, achei que ia difícil eu não gostar, e não é que eu tava certa?

Mato sem cachorro é um filme de 2013 que vai contar a história do Deco e da Zoé, mas não é bem sobre o relacionamento deles, é sobre o pós relacionamento deles. Tudo começa quando o Deco "atropela" o que viria a ser o Hugo, um cachorro muito fofo que sofre de narcolepsia canina (é uma doença na qual quando o cachorro se agita demais, ele desmais). Eles então começam a namorar, e ficam juntos por 2 anos. Quando eles terminam, a Zoé fica com o Hugo e toca a vida dela, porém, um dia, o Deco, resolve sequestrar o cachorro, e ai que você já imagina a confusão.

Eu sei, parece ser uma história meio clichê, e na real, é sim, mas é aquele tipo de filme que você já sabe que eu gosto, com cara de domingo, pra você assistir tranquilo, de tarde e passar o tempo. O filme tem um enredo bem simples mesmo, mas nem por isso deixa de tratar de algum tema legal. A primeira coisa que podemos falar é que ele começa e termina no mesmo ponto: família. Ele explora as relações familiares e como não existe a família perfeita, e tudo isso de uma maneira leve e delicada. O engraçado aqui fica por não existir a figura do filho humaninho, mas do filho cãozinho, que nesse caso é tratado como ser humano, e tem toda aquela tensão de pais separados, quem fica com a guarda do filho, e tudo isso.

Além desse aspecto, ele também vai meio que abordar de maneira sutil o processo de amadurecimento. Enquanto a Zoé é extremamente adulta, independente, decida, o Deco é perdidão na vida. Nesse ponto temos que falar do primo do Deco também. Ele é um cara que tem um emprego formal, terno e gravata, coisa que o nosso mocinho não tem, mas ao mesmo tempo, demonstra atitudes infantis até piores que a do Deco. E ao longo do filme a gente vai vendo as duas personagens evoluindo e como a vida vai fazendo com que a gente cresça.

Além do primo, outra personagem bem legal é a locutora da rádio na qual a Zoé trabalha. Como eu posso explicar, melhor, não posso. Você precisa assistir o filme. Ela começa narrando o filme, e aí quando você olha quem é, é espanto garantido!

Esse filme tem aquela fórmula perfeita: superação, romance, amadurecimento. Talvez alguém ainda ache ele um pouco raso, sem muita profundidade, mas eu acho que esse não é um filme feito para despertar um olhar consciente do espectador, é entretenimento gente, sem mais. O que me incomoda, mas ai é um ponto extremamente pessoal é o excesso de palavrões. As produções nacionais tem isso de querer enfiar palavrão em tudo quanto é fala. Eu sei, talvez eu esteja sendo muito cricri, mas é que eu não falo palavrões, em casa ninguém fala palavrão (pelo menos não na quantidade que tem nos filmes) e as pessoas do meu círculo social não falam palavrões, só quando a gente tá muito bravo ou quando não tem palavra melhor pra usar sabe, no geral não vejo ninguém falando palavrão a cada 2 minutos.

Mato sem cachorro também é bem bonito visualmente, as imagens são claras, cheias de luz, eles abusam um pouco do azul e amarelo, mas ficaram bem trabalhadas as cores.

Agora me conta! Você já assistiu esse filme? O que você achou?


Me sigam por aí! Instagram / Twitter / Facebook / Snapchat: anaclaudiaplima / Goodreads / Skoob

You Might Also Like

6 comentários

  1. Eu preciso assistir esse filme, alias preciso ver mais filmes nacionais tbm.
    O elenco é maravilhoso e acredito que garantiu altas risadas ahiahiuhauhauha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa! Me diverti muito vendo!
      E sim! Precisamos de mais nacionais! Eles existem, tem qualidade e só a gente que não dá muita atenção...
      :P

      Excluir
  2. Eu me lembro que eu fui ver esse filme no cinema, com meu pai e meu irmão e gostei muito. Achei divertido, bem o que você falou sobre um filme de domingo a tarde, para se ver ao lado das pessoas que amamos. Eu gosto muito de como o Deco amadurece no decorrer do filme, e como a Zoé, também percebe algumas coisas. Vamos combinar que aquele *SPOILERRRS NAO LEIAM* namorado novo dela é um chatão!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hauhauahuahuahauha! SIIIIIIIM!
      Meu, não sei como ela fica com ele! Tipo, ele era muito zuado! Muito mesmo!
      :P

      Excluir
  3. Eu assisti uma vez passando na tv e achei tão fofo. Não curto Danilo, mas o cachorro lindo rouba a cena <333

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu assisti mesmo pela Leandra Leal, que acho diva, e o Bruno Gagliasso, polêmico, mas aparentemente gente final! Mas, o dog é tão maravilhoso né?! E ele que deixa tudo mais divertido!
      :)

      Excluir

CURTE A PÁGINA!