VIDA PARALELA

by - abril 09, 2017


Eu tive um problema sério. Eu vivi vidas paralelas. Calma, não é que eu tenha problemas de múltiplas personalidades, mas por muito tempo eu acreditei que eu poderia viver o que eu vou chamar aqui de vidas paralelas, ou seja, eu acreditava que a minha vida como cristã não precisava necessariamente impactar o resto da minha vida. Eu sei, isso parece bem confuso, porque é meio impossível você conseguir viver duas vidas dentro de uma só, mas é fácil omitir coisas, e mais ou menos o que acontecia era que eu não assumia minha identidade como cristã para as pessoas que não faziam parte dela, eu precisava estar segura para falar sobre isso.

Sei que você está pensando, como eu fazia isso dar certo. Pois é, não fazia. Era tipo se existisse um buraco na minha vida e na minha identidade, um vale, que eu não conseguia preencher com um rio que fizesse a ligação. Era um Grand Canyon, árido, que me incomodava e eu não sabia o que fazer com ele.

Então, nos últimos anos, algumas coisas me ensinaram a preencher esse espaço, e a entender que eu não posso ter essas vidas paralelas.

1) É impossível viver assim. A vida pessoal tem que ser um reflexo do seu relacionamento com Deus. Se você tentar separar as duas coisas, você não está sendo sincero com você mesmo e com as outras pessoas. Por isso que sempre rola aquela coisa de alguém virar e falar: "nossa, você é crente?". Tipo, óbvio, que nem todo mundo é igual, e eu estou longe de parecer com alguns cristão que existem por ai, mas se eu não estou deixando transparecer o mínimo disso, tem alguma coisa errada não é mesmo?

2) Deus nos deu uma ordem de ir. Nem todo mundo vai conseguir pregar o evangelho, mas a gente precisa, no mínimo, demonstrar um pouco do amor de Deus para o mundo. Jesus veio sem preconceito, sem amarras, sem julgamento, e, se eu não fizer pelo menos isso, que cristão meia boca eu serei.

3) Um relacionamento com Deus demanda tempo. E quando eu falo tempo, é tempo para ler a Bíblia, tempo para ir a igreja, tempo para orar, tempo para se conectar a Deus e ter orientação, ou consolo, ou qualquer coisa. E é impossível conseguir isso, se você tem que conciliar esse tempo com uma agenda super movimentada. Então se não fizer parte integrante da sua vida, uma hora alguma coisa vai ser deixada de lado.

Seguir por esse caminho, é difícil, deixar Deus transparecer em você é um processo, você tem que ajeitar muitas coisas, e as vezes, até se afastar de algumas pessoas e coisas, mas vale a pena. Isso te faz sentir pleno.

Hoje, minha vida é muito mais consistente do que há alguns anos. Eu tenho um relacionamento mais sólido com as pessoas ao meu redor, e eu sinto que eu sou mais sábia nas minhas decisões. Não tô falando que a vida tá perfeita, porque eu ainda tenho muitos problemas para me relacionar com os outros, e ainda tomo decisões erradas, mas eu me sinto mais segura no que eu tenho, e em quem eu sou.



Me sigam por aí! Instagram / Twitter / Facebook / Snapchat: anaclaudiaplima / Goodreads / Skoob

You May Also Like

1 comentários

  1. Gostei dessa reflexão, Ana.
    Fiz uma parecida, por motivos diferentes. E, depois de pensar bastante à respeito, comecei a avaliar meus comportamentos e pensamentos: o que eu não faço "aqui" e que estaria fazendo se estivesse "lá"? O que me faz mais feliz? Como conciliar as coisas? Foi e ainda é um exercício importante pra eu me livrar de amarras e ser mais verdadeira comigo e, claro, com as outras pessoas :)

    Yellow Ever Shine

    ResponderExcluir